A Miséria da Museologia II

Os primeiros anos do novo milénio trouxeram para a história dos movimentos sociais novas formas de organização, novas ideias e novos protagonistas. Qual o lugar da museologia social em Portugal no âmbito destes movimentos sociais é a linha que nos orienta neste artigo?

Em Portugal constitui-se em 1985 o Movimento Internacional para Uma Nova Museologia, um grupo de reflexão sobre os processos e as praticas duma museologia comprometida com as comunidades e com os territórios. Tal sucedeu devido à vitalidade dessa museologia social, em grande parte herdada da intensa atividade dos movimentos sociais iniciado com o processo revolucionário de 25 de Abril de 1974. Este artigo procura inventariar de que forma esta museologia social está a traduzir os movimentos sociais contemporâneos em Portugal.

Portugal é hoje um País envolvido numa severa crise social, política, económica e cultural. Uma crise que para além de tudo é sobretudo uma crise cultural. O que está hoje em causa é a substituição da democracia pela tecnocracia. Para quem pertence á geração da democracia e que entrou na vida pelas portas que Abril abriu, não pode deixar de estranhar que esse património secular seja agora esbanjado em nome de valores estranhos à deliberação das organizações sociais. Não pudemos deixar de nos indignar por esta substituição do método democrático e participativo pelo método burocrático e autoritário. Neste artigo olhamos para o que está a acontecer no campo da museologia social em Portugal, para procurarmos refletir sobre os caminhos da inovação social na museologia em Portugal.

Anúncios